Categoria: Nutrição

Intestino e alimentação


Você sabia que nosso corpo abriga uma quantidade enorme de bactérias? É verdade, e o trato gastrointestinal é o local de maior concentração e diversidade de comunidades bacterianas, por isso a microbiota intestinal exerce enorme impacto sobre a função e a saúde do sistema digestivo, impactando a saúde como um todo.
A microbiota gastrointestinal tem agora um reconhecido papel na regulação da imunidade, e alterações de sua composição podem constituir a base para explicar o aumento recente na incidência de doenças autoimunes e inflamatórias. Um microbiota saudável representa um papel importante na maturação do sistema imunitário. Melhorar essa relação faz com que tenhamos uma melhor regulação das nossas funções digestivas, absortivas, imunológicas, hormonais, destoxificantes, entre outras.
Fatores que promovem alteração na integridade da mucosa e microbiota intestinal:
• Baixa ingestão de legumes, frutas, verduras, cereais integrais e leguminosas;
• Consumo constante de carboidratos refinados, aditivos alimentares e fatores anti-nutricionais: excesso de cafeína, álcool e açúcar;
• Deficiência de enzimas digestivas;
• Consumo de alérgenos alimentares (de acordo com a individualidade);
• Deficiências nutricionais;
• Uso frequente de medicamentos (antibióticos, antiácidos, corticoides, laxantes, anticoncepcionais…);
• Jejum prolongado.
Fique atento à sua alimentação e como ela influencia seu corpo.

Fome ou vontade de comer?


Você sabe diferenciar quando está realmente com fome ou quando se trata só de uma vontade passageira? Parece simples? Mas para muitas pessoas isso não é tão fácil assim, por isso vamos lhe dar alguns alertas para saber diferenciar.

Como saber se é fome?
A fome não é seletiva nem específica por algum tipo de comida. Qualquer alimento que você tenha disponível e goste pode matar a fome. Pergunte-se: eu comeria se a opção fosse um ovo cozido? Se a resposta for sim, muito bem, é fome. Se a resposta for não talvez você se encaixe no próximo parágrafo.

É vontade de comer?

A vontade está relacionada, muitas vezes, a uma situação social. Surge quando o alimento está disponível, vemos, sentimos o cheiro, ouvimos falar do alimento. Também chamada de fome social, pode ser bem específica, mas não é urgente. Está relacionada ao prazer, a sentir o gosto, degustar, apreciar, saborear.

Sentir vontade de comer algo não é pecado nenhum, mas a frequência de se render a esse hábito pode lhe trazer algum prejuízo a longo prazo, visto que frequentemente os alimentos que despertam esse desejo são mais calóricos, ricos em gorduras ou açúcares simples.

Por isso, no meio da tarde ou da noite quando sentir “necessidade” de comer ou beliscar algo, pare e pense. Será mesmo necessário? Precisamos, diariamente, travar um diálogo com nosso cérebro. Ele comanda toda a máquina que chamamos de corpo.